Pin It button on image hover

Manjar Branco de Natal


Bom dia e desde já um BOM ANO para todas/os com tudo de bom. Eu só espero que seja passado com saúde e que continue a reinar por aqui o Amor, a Felicidade e a Harmonia que é tudo o que eu mais aprecio e prezo.
Como muitas de vós sabem, passei parte da infância e adolescência no Alentejo mais propriamente em Portalegre cidade onde nasci, embora também tivesse morado algum tempo em Estremoz mas é, em Portalegre que guardo mais memórias e boas recordações.
Não imaginam o que é viver num rés-do-chão e ter como vizinhas do 1º andar as manas Cardoso umas das maiores doceiras do concelho, na minha modesta opinião, isto para não dizer do país.
Lembro-me dos cheiros sobretudo e depois em festas ou ocasiões especiais, em que a minha mãe sempre lhes fazia as encomendas de bolos ou sobremesas.
Mas era no Natal sobretudo, que eles enchiam a minha mesa. Era hábito a minha mãe encomendar entre muitas outras doçarias o Manjar Branco e depois no dia 24 à tarde lá subíamos nós até ao primeiro andar, a buscar as guloseimas e deliciosas iguarias por elas preparadas de forma maravilhosa e irrepreensível. O Natal era por isso para mim, uma ocasião mesmo muito especial não só pelo juntar da família e a convivência animada mas sobretudo pelas mesas cheias e com tanta coisa boa.
Uma das sobremesas que eu mais apreciava depois do toucinho do céu, era o Manjar Branco, receita que vos trago hoje e que em minha casa era vista sempre na mesa da consoada logo depois dos sonhos de abóbora e das rabanadas.
Claro que não ficou tão bonita e apelativa como ficava feito pelas manas Cardoso, mas garanto que de sabor, me transportou de novo àquele tempo e deliciei-me com este "MANJAR", para mim muito especial.





250 g de açúcar
100 g de farinha de arroz
40 g de fécula
750 ml de leite





Põe-se ao lume o açúcar com meio litro de água até conseguir o ponto de cabelo. Em seguida junta-se 300 ml de leite e mexe-se bem.
No restante leite desfaz-se a farinha e junta-se à calda de açúcar. Leva-se de novo ao lume até engrossar.
Assim que começar a querer despegar das paredes do tacho é porque deve estar no ponto no entanto, a melhor forma de saber se o manjar branco está pronto é retirar um pouco da massa para um prato e assim que arrefecer ver se este despega bem do prato e não está pegajoso. Se estiver leve de novo ao lume senão, retire.
Com a ajuda de duas colheres de sopa moldam-se pequenos pedaços em jeito de croquetes e dispõem-se numa travessa ou prato.
Vai ao forno a corar, envolto em panos molhados.


Fonte da Receita: Livro "Doces Conventuais da tradição
de Santa Clara", das manas Cardoso.


Mais uma vez um BOM ANO 2014 para todos!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada pela visita. Voltem sempre!